31 outubro 2007

Sobre o autor [ pra dar mais credibilidade ]

Dizem por aí que pra dar mais credibilidade ao seu blog, você deve postar uma pequena biografia descontraída, pra que as pessoas saibam quem você é. Não sei se isso é verdade, nem pensei muito sobre isso, mas sabe como é, né? Não custa nada mesmo. Então aí vai:

Oi, me chamo Hugo Maximo e trabalho como Coordenador de Projetos do Instituto Evoluir em Blumenau - SC [ http://www.institutoevoluir.org.br/ ] também sou Co-editor e Redator do Blog Medula, além de manter este site pessoal no endereço: http://www.matrixordinaria.blogspot.com/.

Cresci em uma biblioteca. Sou filho de bibliotecária e passava as tardes de minha infância em companhia de Monteiro Lobato e tantos outros escritores, na biblioteca de Goioerê, cidade paranaense onde nasci. Vim para Blumenau em 1995, onde conclui meu primeiro romance, intitulado: A Fábula: Cidade dos Desgraçados, publicado pela Editora Hemisfério Sul, 2001. Fato pelo qual sou muito grato.

Possuo mais dois livros publicados não-virtualmente: A Cidade LOBO e O Caso da Cruz de Prata, Ambos, pela Editora Estúdio Criação, 2007. Os dois livros são partes integrantes da Coleção Jóias Literárias em parceria com o Instituto Evoluir, para o Projeto TROQUE LIXO POR LIVRO, ilustrados pelo Mestre dos Quadrinhos Eugênio Colonnese.

Recentemente disponibilizei em meu Blog de nome prolixo [ Hugo para Iniciantes: Por uma vida na Matrix menos ordinária ( meus ex-alunos vão entender essa parte da matrix ) ] mais três livros inéditos: Trash Vol. I - Zumbis & Tentáculos, 2007, Mundo Bizarro, 2003 e Visões do Mal, 2002.

Sou formado em História pela FURB-SC e lecionei durante sete anos na rede estadual de ensino. Atualmente, além de escrever Livros, Blog, Histórias em Quadrinhos e canções de Rock, presto serviço como Coordenador de Projetos culturais.

Entre em Contato


O que leva um autor a disponibilizar seu trabalho livremente na internet [ ou em qualquer outro meio ] é a divulgação.

O termo gratuito é relativo, já que há algum custo envolvido na parte de produção, mesmo em se tratando de um arquivo digital, como criação, tempo de produção, manutenção de link e do próprio site ou blog.

O preço de uma obra sempre é simbólico, tendo em vista a impossibilidade de quantificar em um valor monetário o tempo de aprendizado, criação, dedicação, originalidade, etc, despendido na tarefa.

O retorno que o autor espera é moral, isto é, o reconhecimento de seus talentos [ quando eles existem ] críticas que possam contribuir para o seu aperfeiçoamento e credibilidade junto aos leitores, possíveis editores e colegas de ofício.

A forma de retribuição por parte dos leitores, caso tenham apreciado a obra, pode ser exercida no auxilio à divulgação, indicando a obra e o autor à amigos e à trabalhos relacionados.

Todos sabem a importância da campanha "boca a boca" no campo das artes e do entretenimento, principalmente na internet. No cyberespaço o mesmo ocorre, link a link. E as redes sociais fazem com que o alcance dessas recomendações se torne, praticamente, ilimitado.

Então, caso você tenha gostado de uma obra livremente disponibilizada, retribua contribuindo com divulgação.

Em muitos blogs e sites, existe a venda de e-books e de serviços relacionados. Muitas vezes regulados por sistemas DRM. Downloads pagos, editoração, confecção de capa, etc.

Nada contra. Mas não podemos esquecer que os sistemas de DRM são, por natureza, contrários ao principio básico da internet: "transportar bits de forma rápida e barata."

Acredito, portanto, que não será se utilizando de velhas fórmulas que encontraremos uma maneira justa de remunerar os autores por seus trabalhos disponibilizados livremente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário