11 dezembro 2007

30 Dias de Noite, pelo menos o nome é legal



O que 30 Dias de Noite tem de melhor é o título. Quando soube do que se tratava, fiquei contente, esperando pela obra.

A premissa é genial, o início muito interessante, depois tudo vira senso comum e me peguei pensando no que estaria passando pela TV, enquanto tentava bravamente chegar ao fim da leitura. Diálogos truncados, as ilustrações [ que são muito chocantes isoladamente ] não funcionaram, para mim, como arte seqüencial.

Ainda sim, fica algo que me agrada no que se refere aos vampiros. Em 30 Dias de Noite os vampiros, pelo menos, são tratado como o que realmente são: monstros.

A história não é ruim, apenas não encontrei nada que justifique todo esse estardalhaço. Pelas poucas imagens que vi do filme, acredito que a adaptação cinematográfica possa acrescentar à obra o que a História em Quadrinhos não conseguiu.

Comecei a ler a seqüencia, vamos ver até onde consigo chegar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário