04 dezembro 2007

Fora de Contexto

Eu não sou moralista, pelo menos não o quero sê-lo, mas será que é pedir demais que as coisas sejam como deveriam?

E se as duplas caipiras, por exemplo, ( e os filhos de duplas caipiras ) se vestissem e se portassem como o que realmente são, isto é, duplas caipiras e não estrelas de cinema; e se as estrelas de cinema se portassem como... estrelas de cinemas...

E os médicos se portassem como médicos e vestissem o branco da medicina e não o branco da farmacologia; e os padres vestissem preto e deixassem as crianças em paz;

E se os professores nos ensinassem que é importante lutarmos por nossos direitos e ensinassem isso através de exemplos, fazendo uma greve de verdade ( seu bando de bunda-moles );

E que amigos se portassem como amigos e não nos tratassem como coadjuvantes; e que as pessoas se portassem como pessoas e não como sete bilhões de personagens principais;

E que os advogados fossem inteligentes ao invés de espertos; e que cargos de confiança fossem de nossa inteira confiança; e dos políticos não quero nem falar...

E que homens agissem com bom senso e que as mulheres, pelo menos se portassem como damas...

E que pais amassem seus filhos, já que o contrário é inadmissível; e que um pai se portasse como um pai, assim como uma mãe se portasse como uma mãe e que voltassem para casa, independente de suas vontades ou da vontade de Deus; e que Deus, pelo menos, punisse os maus e recompensasse os bons, afinal é o mínimo que se espera de um Deus;

E que uma pessoa não se tornasse uma lembrança chata, como um mosquito em uma noite de novembro, apenas lembrando que o verão está chegando. E que mesmo que venha a se tornar, por talvez, inevitável, que isso não fosse mencionado, pois seria indelicado, no mínimo....

será que às vezes é pedir demais que se faça o mínimo?

Tudo está errado se está fora do contexto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário