10 janeiro 2008

Cansei de ser Sério - Parte I - O Movimento

Já que o modus operandi de sucesso parece ser o "hoje vou falar mal de quem?" entre jornalistas e escritores, estou lançando o movimento Cansei de Ser Sério.

E hoje vou falar mal de quem?

Escritores independentes.

Você por acaso já reparou como os escritores independentes são tão... independentes?

A coisa já começa pela capa do livro, um fundo branco, na maioria das vezes, representando obviamente o vazio existencial de nossa cultura etc e blá, blá, blá.

Ainda na capa, talvez possa ser visto uma máquina de escrever antiga, ou parte dela, num corte visceral representando uma ruptura de estilos etc e blá, blá, blá.

Ou talvez um velho óculos esquecido sobre uma escrivaninha com uma das pernas semi-dobrada, representando a falta de visão na humanidade em relação ao etc, blá, blá, blá.

É claro que não podemos esquecer dos que abusam de closes confusos, cenas abstratas que focam o caos da sociedade moderna em relação ao blá, blá, blá.

Os títulos, então, são tão independestes e descolados que nem precisariam do resto do livro. Estes parecem existir por si mesmos. Algo como: "a morte que mata". Com um título desses nem precisa ler a história, está tudo ali!

Os que contém frases longas são os que mais me divertem. Algo como: "eu ainda sei e sempre saberei o que vocês fizeram na sexta-feira santa do ano retrasado". Não é lindo?

Outro exemplo clássico são fusões desconexas que pressupõem complexidade. Algo do tipo: "A fúria dos Fracos", ou "manhã escura e clara", ou ainda " o que meu analista faria?".

Dentre todos, no entanto, há um lugar especial em nossos corações e mentes para aqueles que usam e abusam do proibido, do obsceno. Nada mais sexy, nada mais... independente.

E o mais legal é que isso parece funcionar. Digo parece, porque se você gritar bem alto "vai tomar no cú!" bem no meio de uma missa, é óbvio que todos vão olhar pra você. Mas depois de avaliado o conteúdo intelectual da frase, você não passará do "aparecido" que gritou "vai tomar no cú!" bem no meio da missa. E quer algo mais independente do que isso?

Se você também Cansou de Ser Sério, comente!

5 comentários:

  1. Genial! cansei... tambem...


    Eu falo as mesmas coisas para filmes independentes demais...

    mas é isso...


    eu continuo a escrever do geito mais independopop posivel...

    ResponderExcluir
  2. cansei de ser séria há muito tempo!!!

    hoje até assisto novela! cansei de ser séria, principalmente para satisfazer os outros...

    existe vida e felicidade fora dos alternativos... hehehe...

    ResponderExcluir
  3. HAHA! Boa Ana, pensei em voltar a assistir novela depois de ver o House vendo aquelas novelas americanas de médicos... mas ainda não consegui...

    to tentando, mas é difícil... nada acontece...

    não é engraçado como os atores são tão bons que fingem representar que não estão representando? Acho isso o cúmulo e o acúmulo de talento!

    Filmes independentes, é verdade Alberto, isso me renderia outro post!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Novelas americanas são demais...

    Esses dias eu assisti um episódio de House que ele falava "castanha do pára"!!!

    Mas falava perfeitamente!!!! acho que o Hugh até teve que treinar um pouco a dicção, muito legal!!!

    :D

    ResponderExcluir
  5. Sim!!!!!!!!!

    "No Brasil eles não chamam a castanha Brasileira de castanha Brasileira, Seria estupidez, eles a chamam de castuanhuaaaa duuu paaaruuuá!"

    Brazilian nuts! How cool is that?

    :)

    ResponderExcluir